Categorias
Notícias

Posição do mandato sobre a votação da Reforma Administrativa

O sentido geral da Reforma proposta pelo Executivo foi de “acomodar” políticos da base aliada.

A Câmara de Vereadores aprovou, por 25 votos favoráveis a 10 votos contrários, a Reforma Administrativa encaminhada pelo novo prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, que cria novas secretarias para a cidade. A votação ocorreu em sessão extraordinária, na última quinta-feira (07/01).

O sentido geral da Reforma foi de “acomodar” políticos da base aliada, com nomeação de CC’s e secretários – alguns deles impedidos pela justiça de concorrer às eleições, outros de absoluta incompetência, como Cezar Schirmer, prefeito de Santa Maria no ano da tragédia da Boate Kiss.

Junto a isso, a base do governo na Câmara opera um bloqueio aos setores que criticam suas iniciativas, como a falta de prioridade na política de vacinação para a COVID-19, a ameaça aos trabalhadores rodoviários, os conchavos políticos como forma de governar. O resultado foi a EXCLUSÃO da oposição na Mesa Diretora e nas Comissões, importantes espaços de interlocução com as comunidades e elaboração de políticas. Melo mostra, desde o início, que está de mãos dadas com os setores que buscam aumentar o sufoco do povo trabalhador para manter privilégios para os ricos, corruptos e poderosos.

Consideramos importante o retorno da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SME), que historicamente foi um espaço fundamental de convívio e construção de relações nas comunidades, assim como a atenção com a Causa Animal. Mas, infelizmente, sua recriação está a serviço da mesma lógica de acomodar interesses que não são os da maioria da população.

Por isso, votamos contra o projeto de Reforma Administrativa como um todo, junto ao bloco de oposição, e reafirmamos nosso compromisso de seguir as denúncias e o fortalecimento das lutas de quem está na batalha para sobreviver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *